Dicionário do pernambucano, aprenda pernambuquês

frevo-pernambucano1
Gírias de Pernambuco

Nada conta os pernambucanos, ok? Inclusive meu avô mora em Pernambuco e lá é um lugar lindo. Fui zoar uma vez uma pernambucana e ela não gostou não! Falei do sotaque dela, ela revidou falou que eu é quem tinha sotaque hehe. Bom achei uma lista bem interessante de gírias usadas por lá, vou ter que dividir o post porque é muito grande, beleza?

A

A BOLEU – Em grande quantidade, sem limite (Ex: Comprar a boléu)

A COMO É – quanto custa (ex: A como é o quilo do tomate, seu Biu? Prá senhora é de graça, freguesa)

A PULSO – ? força, na marra. Também se usa “na lei do apulso”. (Ex: Rafael foi estudar a pulso.)

ABESTALHADO – bobo, besta, pateta.

ABILOLADO – (ver. abestalhado)

ACOCHADO – apertado (ex: Se aperreie não, doutor. Vou deixar os parafusos da roda do carro bem acochadinhos)

AFOLOSADO – frouxo, quebrado. Ex: Não sente na cadeira, doutor, que ela está afolosada!

AJEGADO – O sujeito que é bem dotado.

AGUADO – Diz-se do café sem açúcar

ALCATIFA – Carpete

ALISAR – Moldura do batente da porta

ALMA – Contração de Alma-ceboza

ALMA DE GATO – Sujeito que gosta de aprontar, tranquino, treloso.

ALMA-CEBOZA – Ver alma-seboza.

ALMA-SEBOZA – Pessoa que tem maldade na mente (ex: Ladrão).

ALPERCATA – sandália de couro

ALTEAR – aumentar o volume da TV ou do aparelho de som

AMARRAR A CABRA – Embriagar-se, ficar de porre.

AMARRAR O JEGUE – ir embora.

AMOSTRADO – pessoa que gosta de aparecer, chamar a atenção.

APERREADO – Preocupado, com problemas, agoniado, situação de Stress, apoquentado, nervoso, em aperto financeiro.

APOIS – isso

ARENGAR – Implicar, discutir, brigar

ARRASTA-PÉ – Forró

ARRETADO(1) – muito bom, excelente, maravilhoso (ex: Êta dicionário arretado)

ARRETADO(2) – irritado, com raiva de algo ou alguém

ARRIAR (1) – quebrar, não suportar,

ARRIAR (2) – descer, baixar (Ex: Fulano arriou as calças)

ARRIBAR (1) – Subir

ARRIBAR (2) – Ir embora

ARRODEAR – dar a volta (ex: Mãe, o portão de casa está trancado. Arrodeia e entra pelos fundos, menino)

ARROMBADO (1) – é o cara que é o fodão, é o bonzão. Ver “Tampa de Crush”

ARROMBADO (2) – Bem, não precisa explicar né, o nome já diz tudo.

ASSANHADO – Pessoa empolgada, que chega junto das “muié”. Ex: Que menino mais assanhado, ja chega querendo me beijar!

AVALIE SÓ – interjeição equivalente a: imagine só, veja só.

AVEXADO – Apressado, afobado

AVEXAR – 1. Apressar, afobar. 2. Vexar, causar vergonha, humilhação.

AZURETADO – confuso, no mundo da lua
B

BACURAU – Último ônibus a passar na noite (Recife), também chamado de cata-corno. 2. Pássaro de hábitos noturnos.

BADOQUE – Estilingue, atiradeira.

BAITOLA – Viado

BANDA DE P??FANOS – Zabumba. Composta por dois pífanos, caixa, bombo, tambor e pratos. Tocam em solenidades religiosas ou profanas.

BAQUE – queda.

BARROQUINHA – O mesmo que covinha (da bochecha)

BATORÉ – baixinho

BEXIGA – Utilizada em expressão de espanto. (Ex. Tá com a bexiga. Que calor da bixiga).

BICHINHO – Forma carinhosa de chamar alguem. ex: Ei bichinho, venha aqui

BIGU – pegar carona

BILA – bola de gude

BILIRO – grampo de cabelo

BILOCA – (ó) Pênis.

BISCOITO/BOLACHA – biscoitos são DOCES, enquanto bolachas são apenas as SALGADAS!

BITI-BITI – pereba, machucados

BIXIGA – Ver bexiga.

BIZU – dicas

BLUSA – Blusas, blusinhas femininas ou Camisas Masculinas.

BOLA DE MARRAIA – Bola de gude.

BOMBEIRO – frentista de posto de gasolina.

BORA – Oi

BORA/SIMBORA – significa vamos embora

BORBOLETA – Personagem do auto popular Pastoril. Na versão sacra, o pastoril é representado por adolescentes e crianças do sexo feminino e a Borboleta é vivida pela menina mais jovem de cada um dos cordões (Borboleta).

BORESTA – Fazer nada. (Ex: Ficar de boresta)

BORIMBORA – Vamos embora

BOROCOXÔ – algo sem muito valor, desgastado. Ex.: Esse livro ta muito borocoxô.

BORRÃO – bloco de rascunhos.

BOTAR CHIFRE – O mesmo que botar gaia . Ver gaia .

BOTAR GAIA – O mesmo que botar chifre. Ver gaia .

BRINCAR DE MESTRE VITALINO – alusão ao artesão de barro mestre Vitalino que significa o mesmo que defecar. (não existe qualquer sentido pejorativo ao eminente artesão pernambucano)

BRONCA – problema (ex: Durma com uma Bronca dessas? !)

BUGIGANGA – Quinquilharia, objeto de pouco ou nenhum valor.

BULIR – mexer em algo ou com alguem.

BULIÇOSO – aquele que gosta de mexer em tudo
C

CABA/CABRA – referente a homen, menino, etc.

CABOCLINHO – O mesmo que cabocolinho. Bloco carnavalesco cujos participantes desfilam fantasiados de índio. O instrumento em forma de arco-e-flecha, marca o ritmo dos passos.

CABRA – 1. Sujeito, pessoa, elemento. 2. Fêmea do bode. 3. Mestiço de mulato e negro

CABRA BOM – (Ou caba bom ). Sujeito agradável, atencioso, educado, gentil.

CABRA DA PESTE – Homem forte, decidido. Referente a um homem ou menino de boa índole. Ex: Seu Chico ajuda a todos! Êta cabra da peste!

CABRA RÚIN – (Ou caba rúin ). Sujeito ruim, bandido, badernista, bagunceiro.

CABUETA – Variação de alcagüete, delator, dedo-duro.

CABUETAR – Variação de alcagüetar, delatar.

CABULOSO – que aperreia, nervoso, chato, peitica. Ex: Victor é cabuloso demais!

CACHETEAÇÃO – Variação de caceteação . Amolação, maçada: Deixa de cacheteação com a bola, jogador rúin!

CACIMBA – Escavação em baixadas úmidas ou leitos secos de rio, na qual a água se acumula como num poço.

CAFUÇÚ – Trabalhador braçal

CAGADO – Emprega-se para dizer que uma pessoa tem sorte: Fulano num (1) perde uma no dominó; ô bicho cagado! . (1) Ver verbete.

CAGANDO E ANDANDO – que não está nem aí, não está preocupado. Ex: Arier tá cagando e andando.

CAGANDO NA CABEÇA DA GALERA – vide “cagando e andando”.

CAIPORA – Indivíduo sem sorte e que dá azar; azarado, infeliz (Em Tupi, significa “morador do mato???.

CALDINHO – Comida típica. Uma espécie de sopa.

CALDO DE BILA – fraco, sem gosto

CALOTEIRO – quem deve e não paga. (Ex: Micróbio me deve 100 reais, caloteiro da peste !)

CAMISA – Qualquer camisa ou camiseta que possua mangas. Camisa Social, Camisetas Polo, Camisetas Normais, etc.

CAMISETA – Regata

CAMBITOS – Pernas finas

CANDINHERO – (ê) Variação de pronúncia de candeeiro . Aparelho de iluminação alimentado por óleo ou gás, com mecha de algodão em forma de pavio.

CANGAIA – o mesmo que cangalha

CANGALHA – pessoa com as pernas arqueadas.

CANGOTE – pescoço. (Ex. Dei um cheiro no cangote dela)

CANJICA – Cural

CÃO CHUPANDO MANGA – o bom, o cara que sabe tudo, o tal, o “tampa de Crush”, o “supra sumo”

CAPOTARIA – Tapeçaria

CAPOTE – Galinha de angola

CAPOTEIRO – seria o tapeceiro

CARECER – Precisar de

CATA-CORNO – (ver. Bacurau)

CATABIU – buraco na estrada

CATINGA – mau cheiro

CATITA – Camundongo

CATOLÉ – Variação de catulé. (Do Tupi). Palmeira cujo coco proporciona um óleo utilizado na alimentação; anajá; o fruto dessa palmeira.

CATOTA – meleca do nariz

CATUCAR – Cutucar

CAVALETE – Escada domestica

CEBOLA – Utilizada em expressão de espanto. (Ex. Tá ca cebola. Que calor da cebola).

CHAMEGAR – namorar, se esfregar no namorado (ex: Tás triste assim por que, mulher? Falta de chamego)

CHAPISCO – Aplicação de argamassa e areia (até cimento) no muro, para torná-lo áspero. A palavra se origina (onomatopéia) do ruído produzido pela colher do pedreiro ao jogar a massa até o momento em que ela (a massa) se choca com a parede.

CHAPOLETADA – pancada forte.

CHAVE ESTRELA – Chave Philips

CHEGAR – Expressão de despedida: Vou chegando , Vou chegar . Quer dizer: ir embora.

CHEGA TÔ/TÁ – Chego a estar. (Ex: Aqui tá muito quente, chega tô ficando suado. Essa manga tá bem madura, chega tá amarelinha)

CHEGUE – Venha cá

CHEGUEI(OU CHEGAY) – de corres berrantes, de gosto duvidoso.

CHEIRO – beijo

CHIFRE – Ver gaia

CHUMBREGAR – Ver sarrar

CHUNCHADA – Zumbido

CIRANDA – Dança típica do litoral pernambucano. Os participantes giram de mãos dadas, em círculo, com passo característico e cantam, repetindo um refrão, enquanto a cirandeira ou o cirandeiro canta versos memorizados de geração a geração, ou de improviso. Encontrada particularmente em locais como a “estrada de Paulista”, entre esta cidade e Olinda, e na Ilha de Itamaracá.

COCA-COLA/FANTA – gay (Ex: Fulano é coca-cola)

COMER BROCHA – passar por apuros, por dificuldades (ex: Comi brocha para mudar o pneu do carro)

COMER O CARTÃO – Ser demitido, mandado embora.

CONFEITO – Balas ou outros docinhos

CONTRA-CHEQUE – Holerith

CORTAR JACA – estimular, ajudar o namoro de amigos ou parentes

CORÔCA – lagartixa (no interior de Pernambuco)

CRÉU – utilizado quando algo é muito difícil (ex.: Eita negócio difícil do créu)

CU-DE-BOI – problema infernal, cunfusão

CUVICO – Variação de cubículo. Pequeno cômodo.

D

DA GOTA – quando alguma goisa ou alguém é muito legal. Ex: essa cerveja é da gota de boa!

DAR O CAGÃO – defecar.

DAR O LAVRA/DAR LAVRANDO – Sair de repente, sem deixar pistas. Sair repentinamente ou simplesmente ir embora.

DAR O MIJÃO – urinar.

DAR O PIRA – vide “dar o lavra”.

DAR O TANGO NO MANGO – dar problema, quebrar, dar a louca.

DAR UM X E XO – (ê). Não pagar a dívida.

DE HOJE A OITO – de hoje a oito dias, inclusive (ex: Você viaja hoje, Biu? Não, Zé, de hoje a oito)

DE JEITO MANEIRA – de modo algum

DÊ O LAVRA – Saia em quanto é tempo

DE ROSCA – algo difícil de ser realizado, duro de sair (ex: E este gol que não sai? Parece que está de rosca)

DENTIQUERO – Dente-do-ciso

DESMANTELO – Ato ou efeito de demolir, arruinar; derribar. Ver dirmantelo .

DIABÉISSO – o que é isso (”Que diabo é isso? ???”)

DIRMANTELO – Variação da pronúncia de desmantelo; diz-se ? visão de uma mulher muito bonita ( Uma mulher dessas é um dirmantelo pra qualquer homem! ). Ver desmantelo .

DO TEMPO DO RONCA – Muito antigo, velho demais: Esse carro é do tempo do ronca.

DOR DE VEADO – o mesmo que “dor desviada”; dor abdominal que dá geralmente em quem bebe muito líquido e vai fazer exercício logo depois.

DUDU – (ver sacolé)
E

E APOI – o mesmo que: e então!

E APOIS?! – Variação de Apois, que por sua vez já é uma variação da conjunção Pois. Indica espanto ao concordar com alguma coisa: – Você está animado para ver o jogo? – E apois?! Ou: – Você tá muito feliz, num tá? – Apois num tou?!

EITA – exclamação

EM GROSSO – No atacado. (Ex: Comprar em grosso)

EMPANZINADO – cheio de comer

EMPRENSADO – dia de folga vítima de feriado prolongado

ENCARNADO – Vermelho, da cor da carne.

ENCARNAR – 1. Perseguir alguém, incomodando, aborrecendo. 2. Avermelhar, dar cor da carne a estátuas e outros objetos; 3. ser a personificação de.

ENFORQUILHAR – Prender na forquilha; dar forma de forquilha a; sentar-se deselegante a cavalo.

ENTÃO – certo

ESBORRAR – Transbordar

ESCANCHADO – Aberto, separado; com uma perna de cada lado de alguma coisa; enforquilhado.

ESCANCHAR – Abrir, alargar as pernas, quando montado a cavalo ou jumento.

ESCAVACAR – Fazer em cavacos, despedaçar, quebrar.

ESMOLÉ – mendigo, pedinte

ESPETACULOSO – Algo muito chamativo

ESPREGUIÇADEIRA – Cadeira de encosto reclinável, também chamada de preguiçosa. Consiste numa armação de madeira, ? qual se adapta um tecido (lona) ou um pedaço de couro.

ESSE MENINO OU ESSA MENINA – vocativos. Por ex: – Que horas são, essa menina? – Hora de deixar de ser enxerido, esse menino? !

ESTAR COM A BEXIGA LIXA – estar com o diabo no couro, estar com tudo.

ESTAR COM A BOBÔNICA – igual a estar com a bexiga lixa, só que no interior de Pernambuco

ESTAR COM A FEBRE – variação de “estar com a bobônica” (ambos na verdade são corruptelas de “estar com a febre bubônica”), também usado no interior do estado. Evite usar esta expressão em Recife: vão pensar que você é “matuto”!

ESTAR COM A MACACA – mais uma variação de “estar com a bobônica, com a bexiga lixa”.

ESTAR COM A MOLÉSTIA – estar mais do que com a bexiga lixa, estar muito “arretado”!

ESTAR NO RATO – pessoa que está há muito tempo sem namorada(o) ou afins.

ESTILAR – Não gostar de uma brincadeira. Aceitar mal

ESTRUIR – Desperdiçar: Pegue só o que você é capaz de comer para não estruir o resto!

ÊTA – contração de “eita”.

EU ACHO É POUCO – 1. Expressão interjetiva com intenção de desprezo, escárnio, maldição: . 2. Nome de um dos blocos que desfilam no carnaval de Olinda.

EU ME ABRO – Diz-se quando a pessoa ri com alguma coisa ou alguém: Eu me abro com as piados de Zé Lezin .


F

FARDA – Uniforme

FARNESIM – Variação popular de frenesi. Delírio, desvario, arrebatamento, impaciência, inquietação, gastura, arrepio, comichão, agitação nervosa.

FARRAPAR – “Dar balão”. Marcar um compromisso e não aparecer.

FAZER O BALÃO – Dar a volta com o carro em um circular.

FECHECLÉR – Zíper, fecho de calça (vem do francês “fecho ecláir”)

FERA – Sujeito recém-aprovado no vestibular; algo bom, legal, interessante.

FILAR – No colégio, olhar a prova dos outros.

FODEU A TABACA DE CHOLA! – O que já estava ruim piorou de vez! Equivalente ao espanhol “Ahora és que si fodió todo!”. Note que “chola” significa cachorra vira-lata no cio. Bem, “fodeu a tabaca” dispensa maiores explicações.

FRISOS – Enfeites cromados em um carro

FÚBA – Fubá

FULEIRO – De má qualidade (objetos), sem-vergonha (pessoas)
G

GABIRU – rato grande; estado de “rato” muito grande(vide “estar no rato”).

GAIA – Variação de galha. Chifres de corno, o indivíduo vítima de uma infidelidade. Em outros estados brasileiros existem variações como pontas, chapéu de touro. Traição carnal numa relação a dois. Botar gaia? : função ativa na relação (principalmente a mulher: traidora, gaieira (1) ); Levar gaia? : função passiva na relação (principalmente o homem: traído, gaiudo (2) , chifrudo, corno). (1) Galheira; (2) galhudo.

GALEGO – pessoa loura ou alourada.

GELO BAIANO – blocos de concreto pintados de branco usados para separar as vias de trânsito.

GIRADOR – do trânsito de veículos: circular, rotatória.

GOSTO DE G??S – (ô) Forte entusiasmo, muita disposição.

GOTA SERENA – quase o mesmo que estar com a peste. gota serena é quando o sujeito está muito danado, muito animado; ele está com a gota serena.

GRAXA – molho de comida. Ex: – Está boa a comida? – Bote mais uma graxinha, a mode lubrificar o peritônio!

GRÉIA – azoação (ex: A festa foi a maior gréia)

GUAIAMUM – tipo de caranguejo de casco azulado e carne adocicada, muito apreciado por conterrâneos pernambucanos e turistas.

GUARAN?? – denominação genérica de qualquer refrigerante. Ex: – Que guaraná você quer, Juquinha? – Coca-Cola, mainha!
I

IAPOI – o mesmo que “e apoi”.

INFELIZ DAS COSTA OCA – É um tipo de xingamento. Ex: Aquilo é um infeliz das costa oca, um mal carater, um mal elemento!

INHACA – catinga, mau cheiro.

INTERAR – (Por inteirar). Completar: Me dê aí um dinheirinho preu interar minha passagem.
J

JANTE – roda do carro

JERIMUM – Moranga (abóbora)
L

LANTERNEIRO – funcionário da oficina mecânica que corrige imperfeições na lataria do carro.

LAVRA – Ver dê o lavra.

LENDA – Uma mentira que já surtiu efeito em pequenas comunidades, afetando seu modus vivendi, e que só foi descoberta tardiamente; mentira. Ex: – Mário me disse que capotou o carro 4 vezes e depois ainda saiu andando. – Isso é lenda dele.

LESEIRA – abestalhamento, idiotice, molesa.

LESO – abestalhado, demente, idiota, doido da cabeça.

LINGUA TRELOSA – pessoa que gosta muito de zuar, que fala besteira.

LISO – sem dinheiro.

LOLÓ – mistura de éter e clorofórmio utilizada como entorpecente no carnaval (é proibido e prejudicial ? saúde: causa câncer)
M

MACACO – ganbiarra, gato e cabrito

MACAXEIRA – variedade comestível da mandioca

MACHO – Valente, brabo, cabra da peste.

MAINHA – o mesmo que mamãe; diminutivo de mamãezinha.

MALA – Ladrões, almas-sebozas, etc. (Ex: A esta hora da noite os malas estão soltos)

MAL-ASSOMBRADO – Diz-se quando uma coisa não vai bem ou não está clara: Fulano está vivendo um casamento mal-assombrado; ou: Vive metido nuns negócios mal-assombrados .

MALOQUEIRO – menino de rua, pivete

MAMULENGOS – bonecos de espetáculos para divertir as crianças. Podem ser controlados por fios ou ôcos, onde se coloca a mão dentro para dar-lhes movimento. Teatro de mamulengos: pequeno palco onde os mamulengos se apresentam.

MANEIRO – coisa leve, que não tem muito peso (ex: Esse pacote está bem maneirinho)

MANGAR – tirar sarro

MARRETAR – furtar coisas de pouco valor.

MARRETEIRO – ladrão vagabundo.

MASSA! – interjeição: muito bom, legal, excelente!; fera.

MATUTO – caipira, pessoa do interior.

MEI MACACO, MEI SAGÜIM – Emprega-se para questionar a autenticidade de alguma coisa ou pessoa. (Ex: Ele me arranjou um pedreiro mei macaco, mei sagüim?”, “Botou uma comida mal-assombrada, um negócio “rúin???, mei macaco, mei sagüim!”)

MEI PEDA, MEI TIJOLO – Ver mei macaco, mei sagüim.

MEIO-FIO – paralelepípedos que separam a calçada da rua.

METIDO A CAVALO DO CÃO – metido a besta, sujeito que pensa que é muita coisa sem ser.

METRALHA – Entulho

MOCHILA – Sacola de mercado

MONSTRO(1) – uma pessoas sinistra de atitudes estravagantes (Ex: Tu é um monstro)

MÓNSTRO(2) – pessoa entendida sobre certo assunto. (Ex: “José é um monstro no tamborim! Toca muito bem”).

MORINGA – vaso de barro onde se armazena água.

MUGUNZA – canjica

MULÉ – forma de chamar mulher

MURIÇOCA – pernilongo.

MURRINHA – O mesmo que desgraçado, lascado. (Ex: “Tu és uma murrinha!”).
N

NARIZINHO DE PORROTE – nariz achatado e não muito saliente.

NA TODA – Com muita pressa, na carreira, em toda a velocidade: Quando soube do que estava acontecendo, Fulano saiu na toda para o local.

NO PRÓ – sem problemas, sem bronca.

NOPRÓ – problema de difícil solução (ex: Já recebeu o dinheiro? Que nada, deu o maior nopró lá no banco)

NOS CAFUNDÓS DO JUDAS – muito longe (variantes: “nos quintos dos infernos”, “onde o vento faz a curva”, “onde judas perdeu as botas”)

NÓ CEGO – problema de difícil solução, sujeito enrolado, complicado
O

O TAMPA – sujeito bom em algo.

OIÃO – Olho grande, inveja.

OITÃO – parte do quintal que dá para os lados da casa

OLHO DE BILA – Pessoas com o globo ocular saltado. Pessoas invejosas, com “olho grande”.

OVO – nada (Ex: Não entendi OVO)

OXE, OXENTE, UXE, UXENTE – interjeições de espanto (corruptelas de “oh, gente!”)
P

PAIA – mulher feia; festa desanimada; objeto ruim, de má qualidade; o mesmo que fuleiro.

PAINHO – o mesmo que papai; corruptela de papaizinho.

PANTEL – Brabo, corajoso. Variação para o masculino de pantera (quer dizer: o macho da pantera) . Palavra criada pelos “machistas??? de Ribeirão/PE, por não aceitarem o apelido de pantera (“palavra feminina para qualificar macho?! Ôxe!!???); assim, criaram o pantel .

PARADA – Ponto de ônibus

PAREDE E MEIA – perto, vizinho. Ex: minha casa fica parede e meia com o supermercado.

PASSARINHA – Placenta de vaca frita de aparência semelhante ? filé de Fígado.

PEBA – vagabundo, de má qualidade

PEGOU AR – Expressão que significa perder a paciência ou não gostar de algum comentário. (Ex: “Ôxe! Zé não gostou da brincadeira, pegou ar!”)

PEGOU EM MERDA – Diz-se quando alguém se dá mal em alguma coisa: Fulano pegou em merda!

PEGAR EM BOMBA – Ver pegar em Merda

PEGAR EM BOMBA CHIANDO – “Pegar em bomba” agravado.

PEGAR O BÊCO – Sair fora, ir embora.

PEGUENTO – suado, suarento; pegajoso.

PEITICA – insistência, renitência.

PEREBA – inflamação, ferida em qualquer parte do corpo.

PERRENGUE – dificuldade financeira (Ex: “To passando por um baita perrengue”).

PERRONHA – sujeito que joga mal o futebol.

PERÉBA – inflamação, ferida em qualquer parte do corpo.

PICHAIM – cabelo carapinhas, enrolado.

PICHETE – o mesmo que cabelo pichaim.

PINDAÍBA – sem dinheiro, passando por uma situação difícil. Ex: Estou numa pindaíba da febre.

PIRANGUEIRO – sujeito pão-duro, avarento

PIRIQUITA/PRIQUITO/PIQUITO – Vagina.

PIRRAIA – Variação de pirralho. Comum aos dois gêneros. Caracterização de quem é pequeno. Criança, guri.

PISA – Bronca. (Ex: “Joana deu um pisa na filha”).

PISAR – Ir embora. (Ex: “João pisou”).

PITOCO – 1. Botão de aparelho de som. 2. Coisa ou pessoa pequena.

PITOMBA – fruta de casca marron, interior viscoso.

PÃO BOLA / PÃO REDONDO – Pão hamburguer

PÃO CAIXA – Pão de forma

PÃO COM BANHA – Diz-se quando um homem faz sexo com uma mulher logo depois que outro fez: Você pensa que levou vantagem comendo Rosinha? Você comeu foi pão com banha de Fulano .

PARÊIA – Amigo, camarada (Ex.: Diga aí, parêia!)

PÉBA – vagabundo, de má qualidade; o mesmo que fuleiro, paia. De qualidade inferior, ordinário, reles.

PEGADO – “Dinheiro Pegado”, dinheiro alto, não trocado (Ex: nota de R$ 50,00)

POTOCA – Conversa sem importância. (Ex: Fulana tava lá conversando potoca)
Q

QUE NEM – igual a, tal qual (ex: Se avexe, menino, você hoje está que nem aruá)

QUEBRAR CATULÉ – “Quebrou catulé”. Diz-se quando a arma de fogo falha (não dispara); quebrar coco.

QUENGA – Mulher vulgar; Puta

R

RABO PRESO – Diz-se quando alguém tem comprometimento com pessoas envolvidas em coisas ilegais ou reprováveis: Fulano não abre o bico porque tem rabo preso .

RALA-BUXO – festa onde se pode dançar, forró

RAPARIGA – Prostituta (Ex: Filho de uma Rapariga)

RATO (TOU NO RATO) – Liso, quebrado, sem dinheiro.

RELAR – arranhar (ex: Foi passear de tobogã, relou a bunda)

RESENHA – resumo, história

RISADAGEM – Riso de perder o fôlego

ROCHEDO – “O cara é Rochedo”, o cara é gente boa, de confiança

RODAGEM – estrada (mais usado no interior do estado)

ROMPER O ANO – atravessar a festa de ano novo (ex: Onde você vai romper o ano? Em Boa Viagem, é claro)

ROÇAR A PITOCA – dançar coladinho, tirar um sarro.

RÚIN – Variação da pronúncia de ru i m (í).
S

SACOLÉ – picole em saquinho – gelinho

SAIMENTO – Atrevimento, enxerimento, saliência, exibicionismo.

SARARÁ?(1) – formiga pequena, da bunda vermelha

SARARÁ?(2) – pessoa de feições negras e cabelo alourado ou avermelhado (provavelmente resultantes do cruzamento de negros e holandeses).

SARGAÇO – algas marinhas.

SARRAR – Namorar se esfregando (compatível com o “dar uns máio”)

SE ABRIR – gargalhar, rir em demasia.

SEGURAR A VELA – acompanhar um casal de namorados ao restaurante, ao cinema etc.

SEM UM TOSTÃO FURADO – sem dinheiro. Ver “liso”.

SENTIDO – 1. Triste, pesaroso: O menininho chorava de um jeito tão sentido, que dava pena. 2. Começando a apodrecer, com princípio de cheiro e sabor ruins: Esta manteiga está sentida .

SINAL – semáforo

SORÓ – bobo

SUPRA SUMO – o bom, o maioral, aquele que está acima do “tampa de Crush” e do “cão chupando manga”

SUPRA SUMO DO CU DO PATO – o bom, o maioral, aquele que está acima do “tampa de Crush” e do “cão chupando manga”.
T

TABACA – Vagina, perseguida, vulva

TABACA RASPADA – Nome dado á Vila do Arlen

TABACUDO – bobo, “abestalhado”, abobado, “abilolado”

TABELIER – painel do carro

TAMBORETE DE ZONA – sujeito baixinho.

TAMPA – sujeito bom em algo

TAMPA DE CRUSH – é o cara que é “muito tampa”: o tipo do sujeito que toma uma Crush quente sem fazer careta!

TARECO – Biscoito de massa de pão-de-ló.

TIRAR O CABAÇO – desvirginar.

TIRAR ONDA – Tirar sarro

TORAR – partir, quebrar; desvirginar.

TORAR UM AÇO – sentir medo intenso, passar por situação de aperto. A origem do nome tem haver com a contração dos esfíncteres.

TOTÓ – Pimbolim

TOU NO RATO – (Ver rato).

TRANCELIM – Cordão de ouro, colar.

TRAQUINO – menino traquino, o mesmo que menino agitado, levado.

TRELOSO – o mesmo que arteiro

TRIBUFU – mulher feia.
U

UM PÉ LÁ?, OUTRO CÁ? – ir e voltar rapidamente. Diz-se também “Vou num pé e volto no outro”.

UNHA DE FOME – Diz-se de quem não gosta de gastar de dinheiro.
V

VENENO DO RATO – quando alguma coisa é muito boa, ex: esse cuscuz está o veneno do rato.

VIRADO NO MOLHO DE COENTRO – estar com tudo e não dever nada a ninguém. Ser capaz das maiores realizações, por exemplo subir em um pé de coentro sem curvar seu caule.

VISSE? – Por “Viste?”. Expressão largamente difundida no Recife: Hoje eu não vou, não, visse? ; ou: Tu visse o que aconteceu?! . Essa variação da segunda pessoa (pretérito perfeito) para o imperfeito do subjuntivo se dá em muitos outros verbos: Tu olhasse? ; ou, simplesmente: Olhasse? ; Fosse? ; Chamasse; etc. Existem também as variantes pronominais com emprego do pronome na segunda pessoa e verbo na terceira: Tu quer um pedaço de bolo?. Ou este outro tipo de construção: Adoro tu ; “Tou com saudade de tu…? (Dominguinhos e Nando Cordel, Gostoso Demais ).

VIXE MARIA! – expressão de espanto, de susto. Ex.: Vixe maria! Que cangaceiro perigoso da peste!

VO NÃO – não vai

VOINHA – o mesmo que vovó; corruptela de vovozinha.

VÔTE, HOMEM! – interjeição de espanto (corruptela de “Vou-te, homem!”). Mais usada no interior do estado.
X

XEREM – Polenta

XEXERO – (ê). Por seixeiro . Caloteiro, mau pagador, passador de xexo.

XEXO – (ê). Por seixo . 1. Calhau, fragmento de rocha. 2. Calote em prostituta. Consta que, ao tempo da mineração, o minerador sem dinheiro para pagar; prostituta fingia dar-lhe uma pepita e, em lugar disto, dava um seixo; daí a expressão: Passou um xexo ou Deu um xexo .

XIMBRA – Bola de gude.
Z

ZABUMBA . Ver banda de pífanos .

ZAMBETA – de pernas tortas

ZAROLHO – vesgo, que tem os olhos trocados

ZOADA – barulho, confusão (ex: Que zoada é essa? É o trio elétrico passando)

ZONA(1) – local do baixo meretrício

ZONA(2) – bagunça, confusão (ex: Joãozinho, vá arrumar o seu quarto, que está a maior zona)

ZUADA – o mesmo que zoada.

19 comentários sobre “Dicionário do pernambucano, aprenda pernambuquês”

  1. JÁ POSTEI UM COMENTÁRIO, MAS PEÇO LICENÇA PRA MANDAR MAIS UM: É QUE CIRANDA, NÃO É GÍRIA. É O NOME DE DANÇA MUITO USADA AQUI, QUE POR SINAL, EU GOSTO MUITO. ABRAÇOS.

  2. ACHO QUE VC ANDOU PESQUISANDO ATÉ DEMAIS. VI GÍRIAS (VÁRIAS) AÍ, QUE ATÉ EU, “PERNAMBUCANA DA GEMA” , DESCONHECIA. FOI BOM PQ APRENDÍ, APESAR DE NÃO SER MUITO SIMPÁTICA ÁS GÍRIAS. MAS, VALEU IRMÃO.SÓ QUE, “TRIBUFÚ” PRA MIM, É MULHER QUE ALÉM DE FEIA, É GORDONA. UMA QUE USO TAMBEM, É “TABACUDO(A)”. PARABENS.KKKKK

  3. Muito massa esse menino! É “dejeito”, algumas não conhecia, outras nunca mais tinho visto, mas grande parte destas expressões utilizamos com muita frequencia! Parabéns!

  4. Sou Pernambucana com muito orgulho, achei super legal porque você realmente pesquisou oque as pessoas falam em Pernambuco. Percebi que você andou vendo Cardinot um apresentador Pernambucano que tem jeito irreverente de apresentar seu programa jornalistico e um dos seus bordões e o ” durma com uma bronca dessa”. Parabéns está ótimo.

  5. Eu sou Pernambuca arretada visse? oxi, gostei muito desse site, pense num orgulho arretado eu tenho de ser de Pernambuco, parabéns a quem criou esse site, muito massa visse?rsrs’
    E eu nunca quero perder esse sotaque arretado!
    E tb se usa muito em palavras no lugar da letra “O” se pronuncia “U” Tipo: Dormir se fala “durmir” e tb se usa mt invés de falar não se fala “num” ex: e num foi?

  6. Nossa, adorei. Sou pernambucana e estou fora do brasil, minha filha nasceu e ganhou um livro do bebe, e nesse livre pedi para colocar as girias do momento, entao fui pesquisar e encontrei seu site. kkkkk eu ja estava me imaginando em pernambuco. abracossssssss

  7. Sou Pernambucana, me criei em São Paulo, adorei esse dicionário, sobretudo o mais engraçado foi o “Tamborete de Zona”” kkkkkkkkkkkkkkk… essa é muito boa,,,

  8. eu sou Pernambuco caba da peste.
    muinto bom esse dicionario pernambuques, pra incrementar vai mais uma que não consta.
    No cu da perua. Lugar longe.

  9. OI…SOU PERNAMBUCANA E ADOREI AS GÍRIAS…só uma correção… o certo mesmo…é “essa coca-cola é fanta.”
    E n se tratando das duas coisas p designar q alguém é gay. 🙂

Deixe um comentário