Dicionário do Carioca, aprenda carioquês

carioca
Aprenda gírias de cariocas
Quem não gosta do Rio de Janeiro não é mesmo? Não é por eu ser Carioca, mas é que é uma cidade linda realmente! Tem problema como todas as outras cidades, mas tem muitos lindos pontos turísticos. Bom se você não mora no RIO e um dia quiser visitar você vai saber das gírias do Rio de Janeiro agora (Lembrando que se você quiser ler tudo você terá que entrar no post por que é muito grande pra por tudo aqui):

1. Advérbio de lugar (“A parada está por aê).

2. Vocativo genérico (“Aê, tu viu a parada?).

3. [pô ] Partícula composta iniciadora de frase

(“Pô aê, sei lá, bro”).

Arroz

(do fenício) aquele que só acompanha. Sujeito

que vive rodeado de mulheres, em muitas amigas,

é doido pra ficar com todas e não pega

uma sequer. Sin. Arame-liso (cerca mas não

machuca); mestre-sala dança em volta,

apresenta pra todo mundo mas não encosta e não

deixa inguém encostar); Mosca de padaria

(tá sempre sobrevoando a guloseima

e tomando tapa)

Bagaray

[adv.] v. Pacaraio.

Boiola

[adj.] Homossexual masculino; gay; bicha;

baitôla, viadinho.

Bolado

adj. Condição de incompreensão momentânea

ou preocupação em qualquer nível.

Bonde

1. Ônibus.

2. Galera, turma.

Bucha

Indivíduo com marra de malandro mas que não

passa de um tremendo prego; as antigas era

chamado de malandro coca-cola (só dar um

sacode que ele erde o gás).

Cabaço

Sujeito trapalhão (“Tu viu que merda? Esse

cara é mó cabação!”)

Chabí

1. [ttk] v. boiola

Chatuba

Ato de esculhambar, avacalhar e perder a

linha da forma mais sacana ossível (“Eu vou

chatubar nesse Enecom!”).

Coé

Aglutinação de qual é (“Coé, sangue?”).

Conto

Unidade monetária sem plural (“Essa parada

custa 10 conto”).

Filé

1. Mulher muito atraente, com um shape

invejável.

2. Fisioterapeuta do Romário e do Ronaldinho.

Filhadaputa

1. Interjeição genérica de descontentamento.

Pode ser usada após qualquer

acontecimento desagradável e/ou inesperado.

2. ! Adjetivo utitizado para humilhar, xingar,

ofender aqueles que merecem.

Ver fura-olho e juiz de futebol.

Foda

1. Qualificação indicativa de dificuldade

(“Aquela parada é foda!”).

2.Qualificação positiva indicando algo

muito bom (“Aquela parada é foda!”).

3. Qualificação que indica algo impressionante

(“Aquela parada é foda!”).

Fura-olho

[adj.] Fala-se do indivíduo que, incapaz

de conseguir realizar o oito, vive de impedir

o sucesso alheio. Ver filhodaputa.

Goiaba

[adj.] Diz-se do indivíduo distraído, aéreo,

que viaja sozinho, m goiabices. Goiabar –

[verb. int.] Ato ou ação de estar goiaba (“Estava

lá sentado, olhando para o céu, goiabando”).

Irado

1. Qualificação positiva relacionada a um fato,

ocorrência u objeto (“O Enecom na Unisinos

foi irado!”).

Lance

1. V. parada.

2. Substância líquida usada como entorpecente,

exclusive bebida alcoólica.

Maluco

Cara; sujeito; indivíduo (“Eu não conheço

aquele maluco”; Estava com uns malucos da

faculdade”).

Mané

Otário; vacilão; prego; sujeito que pisa na bola.

Massa

Macarrão e similares. Não confundir com

“maneiro”, paulista mané!

Maneiro – Show de bola; maneiríssimo; paulista

mané gosta de chamar de massa”.

Mel

1. Bebida alcoólica artesanal fabricada com

cachaça e mel; melzinho.

2.[Ter mel] Qualidade de atrair a atenção

sentimental e/ou hormonal e fêmeas (“Aquele

maluco tem mel”);

3. [malandrês] Sangue (“Levou um soco nos

córneos e começou a escorrer mel do nariz”).

Mermão (masculino)

1. Aglutinação de meu irmão (“Aí, mermão,

que parada é essa?”)

Aglutinação de maior (“Ih, coé? Mó! otário.

Aê!”).

Na mão do palhaço

[Termo composto] Diz-se da condição das

pessoas entorpecidas, não importa com qual

substâncias (“Virou dez copos de pinga e

agora está na mão do palhaço”).

Parada

Substantivo genérico (“Que parada é essa?”,

“Esqueci aquela

parada em casa”, “Preciso fazer uma parada”).

Paraíba

Indivíduo nascido ou residente acima do

paralelo que passa por Copacabana.

Peidão

Covarde, frouxo, borra-botas.

Péla-saco

1. Pessoa chata; piegas.

2. Puxa-saco; baba-ovo; rabiola.

3. V. arroz.

Perdeu a linha- [Termo composto] Fala-se do

indivíduo que cometeu um ato

inconseqüente/insensato (“Perdeu a linha e

virou seis doses de tequila m meia hora”

“Perdeu a linha e foi o centro das atenções na

festa da empresa”).

Pipoqueiro

Qualidade aplicada ao indivíduo que

costuma pipocar, v. peidão.

***

By Fernando:

Pista: lugar onde as pessoas dançam em um

clube noturno

Estar na pista: Verbete da cartilha do Heros,

quer dizer estar disponível, à procura, à caça,

solto na buraqueira, matando cachorro à grito…

(Aê, a quebrete tá na pista!)

***

Popozuda – [adj.] Expressão dos morros

cariocas que contaminou país. Fala-se da

mulher que possui uma região glútea

avantajada e/ou excessivamente acolchoada.

Porra

1. Interjeição (“Porra!”).

2. Advérbio de intensidade

(“Em São Leopoldo estava um frio da porra!”).

3. Substantivo indefinido (“Que porra é essa?”).

4. [sa] Pronome pessoal da 3ª pessoa do singular

(“Ele fica me arrozando…ah, não aguento

mais saporra!) Em biologia, aporra é a mulher do

sapo.

Porrada

1. Coletivo genérico (multidão – uma porrada

de gente; matilha – uma porrada de cachorros)

2. Sin. pacaraio.

Prego

[adj.] v. mané.

Puto

1. [adj.] qualifica um sujeito extremamente

vacilão.

2. Unidade monetária (“Só eu que não ganho

um puto” – ingo da Amizade;Hermes e Renato).

Sacode

1. Ato caracterizado por várias pessoas

se juntando para encher de porrada uma única.

Sangue

Redução de sangue-bom; pessoa legal; gente

boa; agradável; maneira.

Tchola (tchôla) v. boiola; baitola.

Tu

Terceira pessoa do singular dos pronomes

pessoais do caso reto

(“Tu viu”,”Tu faz”, “Tu é”).

Zero-bala – Renovado; pronto pra outra

Parte II

OLHA SÓ: palavra utilizada para chamar a atenção para si e também, primeiras palavras que um carioca ouve ao nascer.

AIIIH ou AEEEH: modo vulgar de chamar a atenção de um merrmão qualquer.

MARRRGINAL: bandido merrmo, aquele que mora nos morros e desce os mesmos para fazer a vida no axfalto.

AXFALTO: qualquer lugar que não seja no morro.

ARRAXTÃO: normalmente é um tipo de pesca com rede; no carioquês, é outro meio dos merrrmão ganharem a vida.

CARACA: mesmo significado de CARAMBA só que de maneira informal.

VACILÃO: sujeito honesto, porém quis andar no centro da cidade sozinho a qualquer hora do dia com dinheiro na carteira.

BOIOLA: homossexual, merrrmão que gosta de sentir um bafo na nuca.

BATE-FORRRTE: elogio para os merrrmão que fazem um bom serviço, seja de qualquer natureza.

I ,ÓH O CARA, AÊ!! : Maneira de dizer que um merrrmão está fazendo merrrda ou alguma coisa que não agradou.

QUENTINHA: é o mesmo que marmitex no paulistanês.

PÉRA AEH!! : Termo que antecede a uma indagação ou termo para que os amigos não o deixem para trás quando os merrrmão estão começando o arraxtão.

PURRRRQUE: o mesmo que porquê, mas no sotaque carioquês.

IXPADA: palavra de auto-afirmação sexual dos merrrmão com tendências duvidosas (BOIOLA). Tradução: ESPADA. Palavra muito utilizada pelos merrrão.

MÉDIA: não, não é resultado de um cálculo aritmético (mesmo porque carioca não estuda) , ou estar puxando saco de chefe ou patrão – é apenas uma xícara com café e leite e pão.

MERRMO ( OU MEIXXXMO): o mesmo que “mesmo” em São Paulo.

PAULIXXXTA: pessoa nascida no estado de São Paulo (a “Locomotiva que movimenta o país”), no sotaque carioquês.

ELA DEU MOLE: mulérrr de fácil assédio que normalmente TÁ DE BOBERA. Muito comum no RJ.

CHEGÔ O MAAACHO!: mesmo significado que IXPADA, porém mais voltado à moda gaúcha. No fundo, é uma camuflagem, é o mesmo que dizer que BOIOLA está na área.

TÁ DE BOBERA: parado, sem fazer nada, esperando a próxima vítima ou será a própria. Muito comum nos cariocas. É só passar nas praias a qualquer hora do dia para confirmar.

PARRRDAL ELETRÔNICO: vulgo radar, nome dado para que os merrrmão não desconfiem da utilidade dos mesmos, porém, quando descobrem, pisam fundo no freio para não sair na foto.

JOELHO: salgadinho feito com massa, presunto e queijo que os merrrmão comem antes da QUENTINHA na hora do almoço.

LINHA VERRRMELHA: avenida de grande porte, também destinada à assaltos a veículos e fuga rápida da polícia para a zona oeste.

LINHA AMARELA: mesmo que a linha verrrmelha, porém dando fuga para a zona norte.

ELEVADO; avenida de grande porte construída em pilares sobre as favelas; hoje também destinada à assaltos e congestionamentos aéreos.

AVENIDA BRASIL: principal via de acesso ao RJ e também destinada a assaltos.Algumas vezes utilizada como um campo de guerra entre os merrrmão de fora do axfalto e os do axfalto.

QUEIMARRR A LARRRGADA: sair para almoçar (queimar a QUENTINHA) antes do horário normal.

3 comentários sobre “Dicionário do Carioca, aprenda carioquês”

  1. Adorei! Passei pelo Rio e não ouvi nem metade do que lí aqui. Pretendo voltar ao Rio de Janeiro em breve!
    Pena que voi encontrar um mosca de padaria, meu ex arame-liso, meus amigos maneiros… Minha vida é foda!

Deixe um comentário